Promovendo Saúde

Qualidade de Vida

Desenho de mãe, pai e filho em piquenique.

QUALIDADE DE VIDA

A maioria das pessoas acredita que ter qualidade de vida seja morar bem, ter um bom salário, ter saúde e ainda poder gastar com coisas que não são essenciais, como por exemplo: teatro, cinema, comer fora e viajar.
Se assim fosse, como explicaríamos pessoas que com tudo isso não se sentem felizes?

CONCEITO DE QUALIDADE DE VIDA:

Condições geradas a partir da capacidade de responder de maneira equilibrada, tranqüila, segura e criativa aos desafios e problemas do dia-a-dia. Não é possível pensar em qualidade de vida sem o controle de si e do seu dia-a-dia, achando que a solução dos problemas e o bem-estar vêm de fora, ou seja, do aumento do salário, da compra do apartamento ou do carro. Quando isto ocorre, logo surgem as frustrações, que geralmente são compensadas nas compras, na comida, na bebida e até mesmo nas drogas.


OS MANDAMENTOS SAUDÁVEIS DA QUALIDADE DE VIDA:

Controlar o peso;
Consultar o médico periodicamente para previnir doenças;
Medir a pressão arterial periodicamente;
Dizer não ao fumo;
Controlar a quantidade de sal ingerida;
Dizer não à obesidade e ao sedentarismo;
Ter uma alimentação saudável;
Praticar esportes (após consulta médica para avaliação das condições clínicas e orientação por profissional da área competente);
Evitar o estresse;
Dispor de horários para o lazer;
Promover ambiente saudável no trabalho e na família;
Prevenir riscos ambientais e de acidentes;
Controlar o uso contínuo de medicação evitando, desta forma, complicações e/ou agravações de doenças já existentes.

ESTRESSE

O QUE É O ESTRESSE?


É uma resposta do organismo frente a um perigo, que prepara o corpo para fugir ou lutar. Os agentes causadores de estresse podem ser:

Externos: Condições físicas adversas, como dor, frio, calor excessivo e situações psicologicamente estressantes, como más condições de trabalho, problemas de relacionamentos.

Internos: Condições físicas, como doenças em geral e psicológicas.

Agudos: Reação a uma ameaça imediata, uma vez eliminado o fator estressante, a resposta do organismo se inativa, cessando o estresse.

Crônicos: São situações em que a resposta do organismo ao estresse não é abolida, como, pressão no trabalho, problemas de relacionamento, solidão e problemas financeiros.


EFEITOS NÃO SAUDÁVEIS DO ESTRESSE PERSISTENTE:

Efeitos psicológicos: Início de depressão ou ansiedade, diminuindo a qualidade de vida e reduzindo os sentimentos de prazer e realização, prejudicando os relacionamentos.

Efeitos Físicos: Aumento da pressão arterial; maior risco de derrame; maior sensibilidade a infecções; distúrbios gastrointestinais, como diarréia e/ou constipação; desordens alimentares, ganho ou perda excessivos de peso; resistência à insulina, que está relacionada ao diabetes tipo 2 e aumento da diabetes; dor de cabeça tensional; insônia; diminuição do desejo sexual e impotência temporária nos homens; aumento da tensão pré-menstrual; diminuição da concentração; inibição do aprendizado e redução da memória; aumento das lesões na pele, como acne (espinhas).

COMO LIDAR COM O ESTRESSE

Dieta saudável: Rica em cereais integrais, vegetais, frutas, sem abuso de álcool, cafeína e cigarro.

Exercícios: Atividades que proporcionem prazer, como, ginástica, caminhadas, natação, yoga e tai chi (sempre após avaliação clínica médica e orientação por profissional competente na atividade escolhida).

Técnicas de Relaxamento: através de técnicas, exercícios respiratórios, relaxamento muscular, meditação e massagem.

A respiração profunda pode ajudar não só no estresse, mas também no controle da insônia, distúrbios alimentares e sexuais, fadiga e ansiedade. Imagine que você tem um balão no abdômen, encha-o inspirando profundamente pelo nariz. Depois, contraindo os músculos, esvazie o balão expirando pelo nariz ou pela boca. Pratique duas vezes por dia, uma média de cinco minutos, em momentos de tensão.

Técnicas de Comportamento: Inclui a identificação das fontes de estresse, reestruturação de prioridades e mudança na resposta ao estresse.

Vale ressaltar que a baixa de auto-estima pode influenciar no comportamento, favorecendo o sedentarismo e a má alimentação, o que pode aumentar os riscos de obesidade e de problemas cardiovasculares. Além disso, pessoas deprimidas ficam com sistema imunológico (de defesa) abatido, portanto têm mais chances de adoecer e ter problemas de saúde.


EXPERIMENTE AS DICAS ABAIXO PARA OBTER QUALIDADE DE VIDA E EVITAR O ESTRESSE:

Na vida nada é mais importante do que a sua saúde, portanto assuma responsabilidades sobre ela, equilibrando suas emoções, sua pressão e sua alimentação.
Quando estiver em situações de aborrecimento, atrito, pense e repense a importância deste fato em sua vida. Vale a pena a discussão? Em caso negativo, deixe pra lá, não se aborreça.
Não esqueça: você pode, em determinados momentos, dizer não, dar sua opinião, muitas vezes até desagradando às pessoas.
Mantenha controle sobre suas emoções, não permita ou aceite provocações de pessoas que queiram te aborrecer.
Mantenha uma alimentação rica em verduras, legumes e frutas.
Evite a frustração, não tente ter controle de tudo, o tempo todo.
Mantenha um programa de atividades físicas (após exame clinico médico e orientação das atividades por profissional especializado na área).