Promovendo Saúde

Proteção Feminina

Foto do peitoral feminino com um 'S' simbolizando Super Mulher.

CÂNCER DE MAMA

É o resultado da multiplicação exagerada e descontrolada de algumas células da mama, que invadem as estruturas sadias à sua volta, podendo atingir a corrente sangüínea e alcançar outras partes do corpo.

Considerado a maior causa de mortalidade de mulheres entre 39 e 58 anos, geralmente é "silencioso" e se manifesta, normalmente, sob a forma de caroço ou nódulo palpável.

Recentemente criou-se uma discussão sobre a possível relação do uso de soutien, tipo de desodorante e o câncer de mama, porém ainda sem provas científicas que comprovem.

COMO PREVENIR O CÂNCER DE MAMA?

Seguindo os passos fundamentais:

- Adotar hábitos saudáveis, evitando obesidade, excessos de gordura, álcool, além do tabagismo;
- Praticar o auto-exame da mama;
- Realizar mamografias anuais depois dos 35 anos, quando a incidência do câncer de mama começa a aumentar.

FATORES DE RISCO:

Os fatores de riscos aumentam as possibilidades de a pessoa desenvolver a doença, geralmente quando dois ou mais fatores estão presentes. São eles:

- Histórico familiar, principalmente nos casos em que a mãe ou a irmã apresentam a doença antes da menopausa;
- Conforme a idade avança, há um aumento do número de casos da doença;
- Se você teve a primeira menstruação precoce, a menopausa tardia (com início após os 50 anos), a primeira gravidez após os trinta anos ou não teve filhos.

O QUE É O AUTO-EXAME DAS MAMAS?

É o exame efetuado pela própria mulher para verificar alterações nas mamas

QUANDO FAZER O AUTO-EXAME DAS MAMAS?

Faça o auto-exame uma vez por mês. A melhor época é logo após a menstruação. Para as mulheres que não menstruam mais, o auto-exame deve ser feito no mesmo dia de cada mês, como por exemplo, todo dia 15.

O QUE PROCURAR NO AUTO-EXAME?

Diante do espelho:
Deformações ou alterações no formato das mamas;
Abaulamentos , retrações ou mudança de coloração de uma região da mama;
Ferida ao redor do mamilo;

No banho ou deitada:
Caroços nas mamas ou axilas;
Secreções pelos mamilos;

COMO EXAMINAR AS MAMAS?

Diante do espelho: eleve e abaixe os braços. Observe se há alguma anormalidade na pele, alterações no formato, abaulamentos ou retrações.

Durante o banho: com a pele molhada ou ensaboada, eleve o braço direito e deslize os dedos da mão esquerda suavemente sobre a mama direita estendendo até a axila. Faça o mesmo na mama esquerda.
Deitada: coloque um travesseiro debaixo do lado esquerdo do corpo e a mão esquerda sob a cabeça. Com os dedos da mão direita, apalpe a parte interna da mama. Inverta a posição para o lado direito e apalpe da mesma forma a mama direita. Com o braço esquerdo posicionado ao lado do corpo, apalpe a parte externa da mama esquerda com os dedos da mão direita.

MOVIMENTOS DA MÃO DURANTE O AUTO-EXAME:

Vertical: a mão desliza para cima e volta para baixo, cobrindo toda mama.
Espiral: a mão realiza movimentos circulares, como ponteiro do relógio, indo da periferia da mama até o mamilo.
Quadrantes: a mão vai do mamilo até a periferia da mama e volta.

CÂNCER DE COLO DE ÚTERO

O QUE É O CÂNCER DE COLO DE ÚTERO?

É o segundo tumor maligno mais freqüente na população feminina, sendo superado apenas pelo câncer de mama. Caracteriza-se pelo surgimento de células anormais na região do colo do útero. Ocorre geralmente em mulheres de 30 a 55 anos e é curável se for diagnosticado no início.

FATORES DE RISCO:

- Início precoce da vida sexual antes dos 18 anos, as células ainda não estão maduras e são mais sujeitas às mudanças pré-cancerosas causadas pelo HPV (vírus do papiloma humano) e HSV (herpes vírus tipo II);
- Contaminação por doença sexualmente transmissível;
- Múltiplos parceiros sexual levando em consideração que cada parceiro já teve outros parceiros também;
- Falta de hábitos de higiene;
- Fumo e contraceptivos orais (pílulas) - o uso prolongado de contraceptivos, associado ao hábito de fumar e má alimentação, favorece as mudanças pré- cancerígenas.

COMO SE DETECTA O CÂNCER CERVICAL?

O câncer cervical é um tumor que progride relativamente lento e o exame preventivo (pélvico e Papanicolau), realizado pelo seu ginecologista, detecta a alteração celular antes que se apresente qualquer sintoma da doença, pois este tipo de câncer não apresenta sintomas na sua fase inicial. Já quando totalmente invasivo, o principal sintoma é o sangramento.

NO QUE CONSISTE O EXAME PAPANICOLAU OU PREVENTIVO?

Consiste na coleta de material do colo do útero (região interna e externa) e da vagina (fundo de saco). É um exame de baixo custo e indolor e reduz em 70% a mortalidade por câncer de colo de útero.

DEVEM REALIZAR O EXAME PAPANICOLAU UMA VEZ POR ANO:

- Jovens a partir dos 18 anos, mesmo que não tenham iniciado a vida sexual.
- Jovens com menos de 18 anos que já tiveram relação sexual;
- Todas as mulheres que têm ou tiveram vida sexual.

DEVEM REALIZAR O PAPANICOLAU DUAS VEZES POR ANO TODAS AS MULHERES QUE:

- Já tiveram alteração celular constatada em exame anterior;
- Já se trataram de câncer cervical;
- Já fizeram cirurgia de retirada de útero;
- Estão entrando ou entraram na menopausa (40/50 anos);
- Têm constantes infecções vaginais via relação sexual.

HPV-VÍRUS DO PAPILOMA HUMANO

O HPV é o vírus sexualmente transmissível mais comum. O Ministério da Saúde estima que cerca de 3% das mulheres portadoras do HPV podem desenvolver câncer de colo uterino.
Geralmente, as pessoas entram em contato com o HPV no início de sua vida sexual, logo não é sinônimo de promiscuidade, ou de ter vários parceiros.

COMO SE DETECTA O HPV?

O vírus pode se manifestar por verrugas esbranquiçadas ou pequenos sinais que aparecem na região genital. Pode-se detectar o vírus através do exame preventivo. A mulher que sempre faz o preventivo e tem o diagnóstico do vírus no último exame, pode achar que adquiriu a doença recentemente e que foi infectada pelo parceiro. Geralmente o sistema imunológico consegue eliminar o vírus ou mantê-lo em um estado inativo, em que não existem lesões, porém suas manifestações podem aparecer ou reaparecer em qualquer momento da vida.

CONHEÇA O VÍRUS

Existem mais de 120 variações do vírus; manifesta-se tanto nas mulheres como nos homens; cerca de 20% da população adulta, sexualmente ativa, têm HPV; não há provas de que roupas íntimas, assentos de vasos sanitários, sabonetes ou beijos sejam focos de transmissão; fumantes têm mais chances de ter a doença agravada; o período de incubação do HPV pode variar de dois meses a muitos anos; quem tem o vírus apresenta maior probabilidade de contrair qualquer outra doença sexualmente transmissível (DST) ou até o vírus da Aids, caso não se previna com uso de preservativo, ou não procure tratamento.
O perigo do HPV é quando os sintomas só se manifestam no colo uterino e no próprio útero. ASSIM, muitas mulheres descobrem que estão com a doença num estágio muito avançado. Mesmo com o risco da doença evoluir para o câncer, a paciente não deve se apavorar, assim como não deve negligenciar o tratamento dos sintomas.

A mulher desempenha o papel de mãe, filha, esposa e profissional. Tem consciência, melhor do que ninguém, que deve cuidar de si, para enfrentar esta jornada com mais saúde. Portanto, deve previnir-se pois diagnóstico precoce ainda é a maior arma para manter-se saudável.