Promovendo Saúde

Alcoolismo

Desenho de casal em uma mesa com o homem jogando uma garrafa de bebida alcoólica no lixo e a mulher bebendo água de coco.

O QUE É?

O alcoolismo é o conjunto de problemas relacionados ao consumo excessivo e prolongado do álcool. É considerado uma doença pela Organização Mundial de Saúde.

A identificação precoce do alcoolismo, geralmente, é prejudicada pela negação do paciente quanto à sua condição de alcoólatra. Além disso, nos estágios iniciais é mais difícil fazer o diagnóstico, pois os limites entre o uso social e a dependência nem sempre são claros. O alcoolismo não distingue raça, sexo, classe social ou cultural.

CAUSAS

É impossível mencionar uma única causa para a dependência do álcool.

? Fatores genéticos: sabe-se que há um forte componente genético que predispõe ao vício. Como em outras drogas, enquanto algumas pessoas conseguem apenas experimentar e/ou beber socialmente, outras ficam viciadas.

? Doenças mentais: há frequentes associações entre algumas doenças mentais e o alcoolismo, entre elas: depressão, transtorno do pânico, fobia social e transtorno de personalidade.

? Personalidade: não há evidências de um tipo específico de personalidade para os alcoólatras. Alguns traços são comuns, como dependência, hostilidade, egocentrismo e tendência autoagressiva.

? Fatores culturais e comportamentais: o uso do álcool é muito difundido e estimulado em nossa sociedade. Em alguns grupos, o beber pode ser fator decisivo para ser aceito ou não.

CONSEQUÊNCIAS

FÍSICAS:

O uso excessivo de bebidas alcoólicas pode afetar praticamente todos os órgãos e sistemas do organismo.
? Aparelho gastrintestinal: gastrites, úlceras, inflamações do esôfago, pancreatite e lesões no fígado, que podem levar à cirrose.
? Aparelho cardiocirculatório: infarto do miocárdio e hipertensão arterial sistêmica.
? Aparelho geniturinário: impotência.
? Sistema nervoso: epilepsia e lesões em nervos periféricos.
? Gravidez: o uso de álcool por mulheres grávidas pode levar ao retardo mental e às más formações do feto: coração, membros, crânio e face (síndrome fetal do álcool).

PSÍQUICAS:

? Embriaguez ou intoxicação aguda: a pessoa pode ficar agitada, falante, eufórica, com falta de coordenação motora, rubor facial. Por vezes o quadro de embriaguez é acompanhado de um esquecimento dos fatos ocorridos durante a embriaguez ("blackout").

? Síndrome da dependência: ocorre com o uso exagerado e contínuo de álcool por muito tempo. Há um desejo intenso de beber e necessidade de quantidades cada vez maiores para obter o mesmo efeito (tolerância). As atividades da pessoa giram em torno da obtenção de bebidas. Ocorrem prejuízos nas demais atividades, como falta e queda do rendimento no trabalho e problemas no convívio familiar.

?  Síndrome da abstinência: ocorre em geral com a interrupção ou redução abrupta da quantidade de bebida ingerida. Caracteriza-se por tremores, sudorese, aumento da pulsação, insônia, náusea ou vômito, ansiedade e agitação.

? "Delirium tremens": é o agravamento do quadro de abstinência com o surgimento de alucinações, em geral na forma de "visões" de animais ou fios na parede ou no ar, e ainda sensação de formigamento ou de bichos andando pelo corpo. Também é acompanhado de febre, convulsões e confusão mental. O "delirium tremens" é um quadro grave e necessita de tratamento hospitalar.

? Síndrome de Korsakoff: é um quadro de amnésia induzida pelo álcool, caracterizado por esquecimento dos fatos que ocorreram recentemente, falta de coordenação motora, movimentos oculares rítmicos e paralisia de certos músculos oculares, provocando algo parecido com o estrabismo.

TRATAMENTO

Há, atualmente, várias formas eficazes de se tratar o alcoolismo. O método mais simples, para casos leves, é a realização de consultas periódicas com uma equipe multidisciplinar experiente (incluindo psiquiatra ou psicólogo), com o apoio da família.

Outro método muito eficaz são os grupos de autoajuda, principalmente os Alcoólicos Anônimos (AA). Os resultados do AA são difíceis de avaliar, mas grande parte dos participantes permanece sóbria de 1 a 5 anos, e muitos por mais de 5 anos. Mais informações: www.aa.org.br.

Casos mais graves devem ser acompanhados por psiquiatra para tratamento psicoterápico e medicamentoso. Alguns casos precisam de internação.

DADOS ESTATÍSTICOS

? A incidência de alcoolismo é maior entre os homens do que entre as mulheres.

? O álcool é responsável por cerca de 60% dos acidentes de trânsito e aparece em 70% dos laudos cadavéricos das mortes violentas.

? O alcoolismo acomete de 10% a 12% da população mundial e 11,2% dos brasileiros que vivem nas 107 maiores cidades do país.

? De acordo com pesquisa recente, realizada com estudantes dos Ensinos Básico e Médio de dez capitais brasileiras, as bebidas alcoólicas são consumidas por mais de 65% dos entrevistados, estando bem à frente do tabaco.

IMPORTANTE

A ideia que se faz do álcool como estimulante é falsa, não passa de mito. Na verdade, a sensação estimulante provocada pelo álcool nada mais é do que a diminuição da timidez. De fato, a substância é depressiva e sua ação pode induzir ao sono.

A ação depressiva do álcool no cérebro e no sistema nervoso central reduz a capacidade mental e física e compromete a realização de tarefas mais complexas, como, por exemplo, conduzir um veículo.

Segundo a legislação, o condutor que for flagrado dirigindo sob a influência do álcool ou de qualquer substância psicoativa terá sua carteira nacional de habilitação suspensa por 12 meses e receberá uma multa, além da retenção do veículo até a apresentação de condutor habilitado.

Para efeito de caracterização de crime de trânsito, em relação ao exame de sangue, a concentração de álcool será igual ou superior a 0,6 grama de álcool por litro de sangue. Caso o teste seja em etilômetro, a concentração de álcool igual ou superior a 0,3 miligrama por litro já caracteriza o crime.

A vontade de parar de beber é o primeiro passo para o tratamento. Se ajude ou ajude alguém.