Promovendo Saúde

Doenças Respiratórias

Desenho de corpo humano destacando os pulmões.

DOENÇAS RESPIRATÓRIAS

Durante o inverno as pessoas apresentam hábitos mais caseiros ou costumam freqüentar lugares fechados e aglomerados. Nesta época, geralmente não arejamos a casa, mantendo as janelas sempre fechadas. Todas estas situações propiciam condições ambientais que facilitam a transmissão das doenças respiratórias, devido a uma concentração maior de poluentes irritantes, fumo, mofo, poeira, bactérias e vírus.

Como vivemos em um clima tropical, são comuns nesta época do ano as mudanças rápidas de temperatura, que geralmente afetam o nariz, a garganta e os pulmões, causando tosse, febre, dores no corpo, congestão nasal, dor de garganta, dor de ouvido, secreção nasal e dificuldade de respirar. Isso pode provocar o quadro conhecido por Infecção Respiratória Aguda, que pode se manifestar em pessoas de todas as idades, sendo mais comuns em crianças e idosos. Este tipo de acometimento tem intensidade variável, podendo ir desde um simples resfriado a um quadro gripal e, em alguns casos, evoluir para um quadro mais grave, como uma pneumonia.

COMO AS MUDANÇAS DE TEMPERATURA AGRIDEM NOSSO ORGANISMO

O nariz é a porta de entrada do nosso sistema respiratório, sendo também seu primeiro mecanismo de defesa. Ele é responsável pelo aquecimento e pela manutenção da umidade do ar, sendo este mecanismo essencial para o bom funcionamento da respiração.

Quando o ar do ambiente está muito frio, os capilares (vasos sangüíneos de pequeno calibre) localizados no nariz se dilatam para aquecer este ar inalado, causando o efeito da congestão nasal. Com a dilatação, o nariz produz mais muco, levando ao efeito do corrimento nasal. Na presença de baixas temperaturas, o corrimento se torna mais denso, acarretando prejuízo no mecanismo de limpeza do ar respirado em relação a partículas, bactérias ou vírus. Com o aumento da congestão, a passagem de ar se torna mais difícil e a tendência é de que a respiração ocorra pela boca, permitinto que o ar frio, subs-tâncias químicas e fumaça de cigarro cheguem diretamente aos brônquios e pulmões, desencadeando as doenças respiratórias.

PRINCIPAIS FATORES

? Variações bruscas de temperatura e/ou umidade;
? Aumento da poluição do ar;
? Hábitos sedentários de vida;
? Estresse (desgaste emocional);
? Alimentação desequilibrada.

PRINCIPAIS DOENÇAS

Alergia respiratória - Pode ser desencadeada através de diversos agentes externos, também conhecidos como alérgenos: poeira doméstica, fungos, pêlos de animais, fumaça, odores fortes e perfumes. Essas reações, provocadas pela ação dos alérgenos, podem desencadear em nosso organismo diversas manifestações, como rinite, bronquite e asma brônquica.

Rinite - Doença que se caracteriza pela irritação da mucosa respiratória, externada pelo espirro, produção excessiva de muco, coceira no céu da boca e congestão nasal. A rinite alérgica pode associar-se ao desenvolvimento de outras doenças, já que esse processo inflamatório pode afetar outras partes da mucosa da via aérea e contribuir para o desencadeamento da asma, otite média e rinossinusite.

Asma ou bronquite - Caracteriza-se por obstrução e dificuldade da passagem do ar pelas vias respiratórias, ocasionando chiados no peito e falta de ar.

Sinusite - É uma infecção causada por germes que se alojam nas cavidades dos ossos da face, sendo basicamente caracterizada pelo acúmulo de secreções nas cavidades da face, acarretando freqüentemente dores de cabeça intensas, secreção nasal, mau hálito, obstrução nasal e respiração bucal, entre outros sintomas.

Amidalites - As amídalas são duas pequenas estruturas arredondadas que se situam logo no início da garganta, com a função de proteger o organismo contra bactérias e vírus, através da produção de anticorpos, principalmente na infância. As amidalites são causadas por bactérias, provocando febre, dores e pus na garganta.

Tuberculose pulmonar - Causada por um microorganismo denominado Bacilo de Koch, atinge principalmente pessoas debilitadas, com deficiência no sistema de defesa do organismo. Pessoas com vida e alimentação irregulares, usuários de bebidas alcoólicas e portadores do vírus HIV correm um risco maior de contrair tuberculose. Os indivíduos que mantêm contato direto e constante com o portador da doença deverão se submeter a uma avaliação médica.

Enfisema pulmonar - O hábito de fumar é a principal causa desta doença, que está associada a estados gripais, caracterizando-se por pneumonias freqüentes e falta de ar constante.

Pneumonia - É um processo inflamatório dos pulmões, que pode ser causado por vários tipos de microorganismos, havendo tratamento específico para cada um deles. A pneumonia se caracteriza pela falta de ar, fraqueza, febre e queda do estado geral de saúde, levando à diminuição da capacidade para realizar atividades físicas.

FORMAS DE PREVENÇÃO

? Mantenha o ambiente limpo e arejado, principalmente os quartos de dormir;
? Faça a limpeza de casa com um pano úmido e/ou aspirador de pó e não use panos secos, espanadores ou escovas;
? Prefira pisos lisos, que acumulam pouca poeira;
? Reforce a limpeza doméstica, combatendo a poeira e o mofo;
? Evite ambientes fechados, onde a contaminação é mais freqüente;
? Abra as janelas, aproveitando o sol, mesmo com o frio;
? Evite travesseiros de penas, cobertores e mantas de lã, prefira edredons de tecidos;
? Revista de plástico seus travesseiros, colchão e almofadas;
? Evite contato com animais de pena ou pêlo;
? Evite produtos com cheiro forte e/ou irritante;
? Evite aglomerações e, principalmente, contato com pessoas que estejam espirrando e/ou tossindo;
? Não fume e, lembre-se, em ambientes fechados os efeitos do cigarro são os mesmos para fumantes ou não-fumantes. Filhos de pais fumantes apresentam mais resfriados que os de não-fumantes;
? Prefira lenços descartáveis em caso de gripe ou resfriado;
? Evite banhos muito quentes e demorados;
? Não esqueça de lavar sempre as mãos, principalmente antes de pegar crianças no colo, pois as infecções são facilmente transmissíveis;
? Mantenha sempre consigo um guarda-chuva e agasalho para os dias de frio e chuva;
? Beba bastante líquido (exceto haja contra-indicação), evitando bebidas geladas e alcoólicas;
? Mantenha uma alimentação equilibrada, procurando sempre estabelecer horas certas para as refeições. Prefira carnes magras, verduras (como couve, alface e agrião), legumes e frutas, principalmente as ricas em vitamina C, tais como laranja, limão, melão, abacaxi e acerola;
? Amamente seu filho no peito nos primeiros seis meses de vida. O leite materno é essencial para prevenir doenças, pois é através dele que a mãe passa as células de defesa para o bebê, protegendo-o contra as infecções;
? Aumente a sua capacidade respiratória através da prática de esportes ao ar livre, como correr, nadar e caminhar. Antes de começar uma atividade física é fundamental uma avaliação médica e acompanhamento de um profissional especializado;
? Utilize equipamentos de proteção fornecidos pela sua empresa caso exerça atividade profissional que possa afetar seu sistema respiratório;
? Durma bem, pois o sono repousa, repara e evita as doenças;
? Mantenha em dia as vacinas, principalmente crianças e idosos. A vacinação completa até um ano de idade previne a criança de coqueluche, tuberculose e outras infecções graves.

DURANTE O INVERNO, OS CUIDADOS COM AS DOENÇAS RESPIRATÓRIAS DEVEM SER REFORÇADOS. PREVINA-SE, POIS UM SIMPLES RESFRIADO PODE TORNAR-SE UMA INFECÇÃO GRAVE.