Promovendo Saúde

Osteoporose

Desenho de lupa examinando um osso.

OSTEOPOROSE

O QUE É?

A doença ocorre quando a massa óssea e a quantidade de cálcio diminuem consideravelmente, acarretando alterações na microestrutura e enfraquecimento dos ossos, que se tornam ocos, porosos e mais sensíveis a fraturas.

O nosso esqueleto é responsável pela rigidez, forma e sustentação do nosso corpo, permitindo a locomoção e a proteção de órgãos vitais, como cérebro, pulmões e coração. O osso, por sua vez, encontra-se em constante processo de remodelação, formação e reabsorção. Neste processo existem hormônios que auxiliam a manutenção do equilíbrio de ganho e perda da massa óssea.

Pesquisas comprovam que os ossos humanos crescem até os 20 anos e que, nesta faixa de idade, eles se renovam com muito mais intensidade. A partir daí, o tamanho se estabiliza e temos um aumento na densidade até os 35 anos, quando então observamos a perda de massa óssea progressiva, pois a fase de reabsorção é maior que a de formação.

OSTEOPOROSE NA MULHER

As mulheres são mais atingidas pela doença. As estatísticas evidenciam que para cada quatro mulheres temos um homem que desenvolve a doença. Isto ocorre porque a osteoporose está diretamente ligada à queda dos níveis de estrógeno (hormônio feminino), que acontece do período de pré-menopausa até o período de pós-menopausa.

OSTEOPOROSE NO HOMEM

Os homens também podem desenvolver a doença, atingindo cerca de 4% a 6% com mais de 50 anos. A produção de hormônios cai lentamente e a osteoporose apresenta-se em decorrência do envelhecimento, atingindo principalmente os fumantes, os que bebem com freqüência, os que fazem uso de determinados tipos de medicamentos por longos períodos e pacientes com certos tipos de cânceres.

Segundo o Ministério da Saúde, a partir dos 65 anos, o número de homens com osteoporose se equivale ao de mulheres, devido ao envelhecimento.

FATORES DE RISCO

A osteoporose é resultante de vários fatores, sendo que, em alguns casos, não temos como intervir e, em outros, podemos atuar, obtendo um menor impacto no organismo.

Predisposição genética
? Sexo feminino;
? Menopausa precoce;
? Idade avançada;
? Raças amarela e branca;
? Estrutura óssea pequena;
? Baixo peso;
? Histórico familiar com osteoporose;
? Primeira menstruação tardia.

Estilo de vida
? Tabagismo;
? Sedentarismo (principalmente a falta da exercícios físicos);
? Alcoolismo;
? Uso de bebidas contendo cafeína (café, chás e refrigerantes do tipo cola);
? Pouca exposição ao sol;
? Alimentação pobre em cálcio.

Histórico médico
? Massa muscular pouco desenvolvida;
? Retirada cirúrgica de ovários, sem reposição hormonal;
? Menopausa precoce, sem reposição hormonal.

SINTOMAS

A osteoporose é uma doença silenciosa e muitas vezes não apresenta sintomas. Várias vezes o diagnóstico é realizado após o indivíduo apresentar queixa de dores provocadas pelas fraturas ocorridas no fêmur, no punho e/ou nas vértebras. Nessas áreas, as fraturas ocorrem com mais freqüência devido ao enfraquecimento acentuado do osso.

As fraturas nas vértebras podem acarretar diminuição da altura e alterações na postura. Já a fratura de fêmur é considerada a mais severa para os pacientes com osteoporose, pois eleva muito o risco de complicações durante ou após a cirurgia, levando inclusive a graus variáveis de incapacidade física.

A dor é o principal sintoma que devemos prestar atenção. A dor para os pacientes com osteoporose pode:
? Ser aguda;
? Localizada ou difusa;
? Intensa ou não;
? Manter o indivíduo imobilizado;
? Ser de longa duração;
? Ser conseqüência e/ou estar associada a outras patologias, como a osteoartrose, que é comum na idade avançada.

PREVENÇÃO

Por ser uma doença que não provoca sintomas marcantes e que evolui lentamente, torna-se necessária a prevenção desde a infância, adotando hábitos de vida saudáveis que levem ao aumento da resistência óssea. Para evitar a osteoporose é importante:

? Tomar sol sempre que possível em horários adequados. Os raios ultravioletas, ao incidirem sobre a pele, contribuem para a síntese da vitamina D, fundamental para a absorção do cálcio pelo organismo. Bastam de 20 a 30 minutos de sol por dia, até às 10h e depois das 16h. Apenas 25% do corpo precisa estar exposto;

? Manter alimentação adequada, saudável e rica em cálcio. O leite e seus derivados são as principais fontes, mas também é encontrado nos vegetais de cor verde escura, como couve e brócolis;

? Praticar exercícios regularmente, pois eles reforçam a capacidade muscular, melhoram o equilíbrio e os reflexos, evitando as quedas. Entre os exercícios mais indicados estão a natação, a caminhada e a hidroginástica, pois causam menos impacto aos ossos. Faça exercícios sempre após avaliação médica e com a orientação de profissional de Educação Física;

? Reduzir a ingestão de álcool e bebidas com cafeína;

? Não fumar.

IMPORTANTE

? É importante destacar que mesmo as pessoas que já apresentam osteoporose também devem adotar hábitos saudáveis para que seu tratamento seja mais eficaz.

? Os jovens também correm risco de desenvolver osteoporose devido à baixa quantidade de cálcio ingerida.

? Previna quedas, pois assim evitamos fraturas. A partir dos 50/60 anos tenha os seguintes cuidados:
– Use sapatos de saltos largos e que tenham calcanhares reforçados, evitando que os pés se movimentem dentro dos calçados;
– Evite fios e objetos espalhados pelo chão;
– Evite pisos escorregadios e tapetes soltos no chão;
– Mantenha as vias de acesso entre os cômodos da casa bem iluminadas;
– Fique atento a movimentos inesperados de crianças, animais e bicicletas;
– Use óculos sempre que não enxergar nitidamente.

É possível prevenir e tratar a osteoporose com a adoção de estilos de vida mais saudáveis e medicações seguras e eficazes, diminuindo o risco de fraturas.  É fundamental o acompanhamento médico regular, principalmente no caso das mulheres, no período da menopausa.